2a. Degustação de Vinhos Espanhóis no La Madrileña

Mais uma vez, a convite dos meus queridos amigos Edson Sarabia, Emerson Mafra e Raúl Javales, conduzi a 2a. degustação de vinhos espanhóis no restaurante e vinheria La Madrileña, em São Paulo.
Confesso que estudo bastante antes de um evento desses e que existe uma preparação para que tudo corra bem, mas, o trabalho fica muito agradável por acreditar que os vinhos são muito bons!!!
Bem, como acho que uma degustação não é apenas se tomar um vinho, mas sim, ter uma experiência gustativa e sensorial, gosto de fazer uns exercícios nos quais podemos despertar os sentidos.
Nesse caso, pedi para que o pessoal montasse uns pratos com comidinhas que entendi que poderiam harmonizar com pelo menos um dos vinhos apresentados: iscas de cação, queijo brie, chorizo espanhol, jamon serrano, carne moída temperada para o Sartén, . Resultado: as pessoas novamente adoraram esse momento. A experiência do gosto e da percepção!
Mesmo que você não tenha conseguido ir, fique atento, pois faremos outras. Sinceramente, acho que vale muito a pena!!!

Este slideshow necessita de JavaScript.


VINHO 1

REI SANTO VERDEJO
Rey Santo Semi-dulce

Tipo: Vinho branco suave sem envelhecimento em barril.
Safra: 2010
Região:
D.O. Rueda (La Seca, Valladolid – Espanha).
Variedades: 100% Verdejo.
Produtor: Javier Sanz Viticultor.

Notas de degustação: Vinho brilhante de tonalidade palha, de aroma floral marcante, agradável e suave, intenso mas nada enjoativo, retrogosto longo com boa acidez, notas cítricas e de fruta madura.

Temperatura de serviço e recomendações: Servir a uma temperatura en torno aos 8ºC.

Harmonização: Acompanha perfeitamente aperitivos, pratos leves e sobremesas pouco açucaradas ou à base de frutas. Vai muito bem também com queijos cremosos ou mais curados.

Curiosidades:
Verdejo é a uva ícone da D.O. Rueda, portanto, quando você vir que um vinho vem dessa região, pode apostar que ele é de Verdejo.
Aliás, você sabe o que é uma D.O.?
D.O quer dizer Denominação de Origem, uma forma de se padronizar os vinhos de determinada região, garantindo-lhe a qualidade e procedência. Quer dizer que um vinho de uma D.O. passou por uma fiscalização, não é feito de qualquer jeito.
A Verdejo tem como característica toques minerais, grama, mel, flores brancas e às vezes frutas tropicais.

Quanto ao vinho Rey Santo Semi-dulce, como o nome diz e a boca também, esse vinho é semi-doce. Mas, não se assuste, nada de açucar foi adicionado à ele.
Não sei se você sabe, mas na fermentação, parte do açucar do mosto ou suco do vinho é transformado em álcool. Por isso, uvas muito doces, que amadureceram em lugares mais quentes, tendem a dar vinhos mais alcoólicos.
No caso desse vinho, a fermentação foi interrompida e isso fez com que ficasse um pouco de açucar no vinhos, que tecnicamente chamamos de “açucar residual”, por isso ele é doce.

 

VINHO 2
REI SANTO MEIO DOCE

Rey Santo Rueda

Tipo: Vinho branco seco sem envelhecimento em barril.
Safra: 2010
Região: D.O. Rueda (La Seca, Valladolid – Espanha).
Variedades: 50% Verdejo, 50% Viura.
Produtor: Javier Sanz Viticultor.

Notas de degustação: Vinho brilhante entre amarelo-limão e palha com tons dourados, de aroma fino afrutado com notas de maçã verde, anis e um toque de frutas tropicais, em boca mais cítrico, seco e saboroso, com um perfeito equilibrio entre teor alcoólico e acidez.

Temperatura de serviço e recomendações: Servir a uma temperatura en torno aos 8ºC.

Harmonização: Combina muito bem com frutos do mar em geral, peixes grelhados ou cozidos, com molhos e especiarias, queijos maduros ou semi-maduros, patés e até carnes como o cordeiro na brasa.

Curiosidades:
Como vimos no vinho anterior, a Verdejo é uma casta que dá vinhos frescos, com toque de grama  e floral.
Também conhecida como Macabeo, a Viura é uma casta que dá vinhos minerais e com aromas de mel. Esse corte talvez equilibre o vinho, dando-lhe maciez e acidez na medida certa. 


VINHO 3

Eridano Selección

ERIDANO SELECCION
Tipo: Vinho tinto seco envelhecido 6 meses em barril de carvalho.
Safra: 2009
Região: D.O.C. Rioja (Sajazarra, La Rioja – Espanha).
Variedades: 90% Tempranillo; 10% Garnacha.
Produtor: Bodegas y Viñedos Puente del Ea
Notas de degustação: Vinho de tonalidade cereja de capa média-alta, aromas frutais frescos próprios de zonas limite de cultivo, textura muito equilibrada em boca, saboroso e elegante.
Temperatura de serviço e recomendações: Servir a uma temperatura entre 13ºC e 15ºC.
Harmonização: Recomendado para acompanhar carnes, cozidos e sobremesas cremosas.

Curiosidades:
A uva Tempranillo é a uva tinta ícone da D.O.C Rioja. A grande maioria dos vinhos dessa região é elaborada com essa uva.
Ela tem aromas de frutas vermelhas, groselha, às vezes um toque herbáceo e, quando passada em barrica, couro e baunilha.
A Garnacha, Grenache na França, é uma uva mais rude, pesada, que, nesse caso, serviu para dar mais cor, estrutura e álcool ao vinho. Esse vinho passa 6 meses em barrica, que o deixa mais elegante, sem perder o frescor.  Em  minha opinião, muito equilibrado.

VINHO 4

Artuke Crianza

 ARTUKE CRIANZA

Tipo: Vinho tinto seco envelhecido 12 meses em barril de carvalho francês 80% e americano 20% de 1, 2 e 3 anos.
Safra: 2008
Região: D.O.C. Rioja (Baños de Ebro, Álava – Espanha).
Variedades: Tempranillo 90%; Graciano 10%.
Produtor: Bodegas y Viñedos Artuke – Família Miguel Blanco.
Notas de degustação: Marcante em aromas de frutas silvestres, baunilha e alcaçuz, de tonalidade rubí, suave e equilibrado em boca, glicérico, fresco, com equilibrada acidez e levemente adstringente.
Premios e pontuações: 2º lugar XVIII Premios Vendimia 2011
Temperatura de serviço e recomendações: Decantá-lo por 30 min. e servir a uma temperatura entre 15º e 16ºC.
Harmonização: Excelente no acompanhamento de carnes vermelhas e brancas, legumes, pratos de arroz e queijos maduros.

Curiosidades:
Mais um vinho elaborado com a Tempranillo e totalmente diferente do anterior.Nesse caso, o vinho passou 12 meses em carvalho, sendo que 80% em carvalho francês, o que dá aromas complexos ao vinho, tais como café, tostado, defumado, couro e 20% em carvalho americano, o que dá mais aromas de coco e baunilha.A uva Graciano aparece nesse vinho com 10% para lhe dar estrutura, cor e acidez.

 VINHO 5

Burgo Viejo Gran Reserva

BURGO VIEJO GRAN RESERVA 

Tipo: Vinho tinto seco envelhecido 24 meses em barril de carvalho francês.
Safra: 2002
Região: D.O.C. Rioja (Alfaro, La Rioja – Espanha).
Variedades: 100% Tempranillo
Produtor: Bodegas de Família Burgo Viejo.
Notas de degustação: Rioja clássico de tonalidade rubí com matizes telha, de nariz marcado por aromas torrefatos, couro e chocolate. Em boca destaca a sua suavidade e sua potência, com taninos firmes e persistência dos aromas experimentados na fase olfativa.
Temperatura de serviço e recomendações: Servir a uma temperatura em torno aos 17ºC.
Harmonização: Ideal para o acompanhamento de caças e queijos maduros.

Curiosidades:
Você já parou para pensar que esse vinho demorou pelo menos 5 anos até sair da Vinícola?
Não é incrível pensar no tempo que se leva para um vinho desses estar pronto?
Lembrando que um Gran Reserva passa 24 meses em barrica e depois fica mais 36 meses na garrafa.
Como nosso vinho foi envelhecido em carvalho francês, a probabilidade é que ele seja estruturado, mas, sem aquelas explosões de aromas e sabores, isto é, que tenha aromas e sabores mais elegantes.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s