Arquivo da categoria: ARTIGOS

Hoje é Dia do Sexo! Um brinde aos prazeres da vida!

Você sabia que hoje, dia 6/9 comemora-se o Dia do Sexo? Sabe como ele começou?
Em 2008 a empresa de preservativos Olla criou uma campanha de marketing fazendo uma brincadeira relacionando o dia 6/9, ao famoso 69!

meianove
E parece que a moda pegou pois estamos aqui, há 5 anos, comemorando esse dia!

Então, como o assunto hoje é sexo, e tudo que falo aqui tem que ter vinho no contexto, resolvi falar dessa que, para mim, é a harmonização perfeita: sexo e vinho!

“O vinho molha e tempera os espíritos e acalma as preocupações da mente…
ele reaviva as nossas alegrias e é o óleo para a chama da vida que se apaga.
Se beber moderadamente, em pequenos goles de cada vez, o vinho gotejará nos seus pulmões como o mais doce orvalho da manhã…
Assim, então, o vinho não viola a razão, mas convida-nos gentilmente a uma agradável alegria.”

Sócrates

p15 vinho

Como o vinho nos embriaga sem nos embebedar, ele nos liberta e assim deixamos de lado a censura e falsos moralismos …
ficamos, digamos … facinhos.
E eu acho isso muito bom! Afinal somos humanos, de carne e osso, com vontades e desejos!
Em um momento em que o trabalho e as responsabilidades dominam nossas vidas e que o tempo dedicado aos prazeres é cada vez mais curto, nada melhor do que se entregar ao que se sente mesmo e ser feliz!

Escolhi um texto, uma música e um poema, todos sobre sexo.
Espero que gostem, que os harmonizem com um delicioso vinho, champagne ou espumante e que acima de tudo degustem a vida!!!

O texto:
Nude Couple Embracing in Bed“O que realmente acontece quando um casal se move no reino da experiência orgástica? O que realmente acontece? Cada ponto precisa ser entendido. O tempo para; por um momento o pêndulo não se move, e esse único momento parece ser praticamente a eternidade. As duas pessoas não são mais duas – por um momento. Elas se fundiram uma na outra; não existe pensamento na mente, por um momento; ela está toda vazia e silenciosa, e essas são as coisas que devem ser aprofundadas em meditação.”
Osho


A música:

O poema:

sex

Noite de chuva

Amor em taça, misturado ao vinho tinto
Beijos sabor de uva
Caricias que embriagam
Corpo a corpo, suave… Seco.
Taças de carinho com vinho tinto,
Transbordando, soltando liberando,
Emoções em pequenos goles,
Embriagando-nos de desejo.
Taças de loucura mesclada ao vinho tinto,
Corpos molhados qual a chuva que cai.
Entregando-se com plenitude, em êxtase,
No ópio da insensatez… Entorpecendo a razão.

Taças com vinhos, esquecidas, viradas,
Testemunhas mudas do amor que descansa,
Balança os sentidos, a razão…
Taças de calmaria… Sem vinho… com esperança

Olfato, o mais primitivo dos sentidos

O cheiro está em tudo: no amor, no apetite, nas melhores lembranças. Pensando bem, todo odor provoca sentimentos.

teste

Um simples aspirar e basta para despertar fome, provocar atração ou repulsa, trazer de volta cenas do passado.
Cheirar é se emocionar sempre,  e na maioria das vezes isso é tão sutil que não prestamos atenção ao mais primitivo e intrigante dos sentidos.

Observando o comportamento dos bebês, os cientistas concluíram que a partir da primeira semana eles já reconhecem o odor da mãe. Aliás, todas as pessoas têm um cheiro próprio, uma espécie de combinação final de todas as substâncias odoríferas liberadas através da pele. Não se sabe ainda se o cheiro de cada um é de fato uma marca registrada tão particular como uma impressão digital, mas é provável que sim.

Tudo tem cheiro e para o identificarmos, nosso cérebro recorre à memória olfativa. É nela que ele identifica a qual objeto um aroma está relacionado. E é nela também que está armazenada a relação entre um cheiro e a sensação a qual aquele cheiro nos remete, a algo que vivemos no passado.

O olfato influencia também o paladar. Já que esse sentido apenas identifica os sabores doce, amargo, azedo e ácido, é o olfato que dirá se estamos mastigando uma banana ou um mamão.

 E por que as coisas têm cheiro? O que é um cheiro?

Todas as coisas que têm cheiro estão liberando moléculas – quer seja um pão ou um bolo saindo do forno, cebolas, um pedaço de fruta ou um vinho. Essas moléculas geralmente são compostos químicos leves e voláteis (de fácil evaporação) que flutuam pelo ar até chegar ao nariz. São elas: ácidos graxos, álcoois, aldeídos, cetonas, terpenosisso e principalmente os ésteres.

Falando de vinhos, sabemos que eles também têm cheiro, o qual chamamos bouquet e que é o “cartão de visitas” na hora da degustação. É o bouquet que nos contará se um vinho está estragado ou perfeito para ser degustado, se passou por madeira ou por algum tipo especial de fermentação.

vinhos tipos

E  por que os vinhos não têm cheiro de uva?

Porque o vinho é um suco de uva que passou pelo processo de fermentação e através dele, as enzimas transformaram o açucar em álcool e vários aromas acabaram aparecendo devido a esse processo químico.
É por isso que encontramos aromas de morango, abacaxi, baunilha, entre outros, em um vinho – pois os compostos químicos que descrevemos acima são os mesmos dessas frutas, por exemplo.
No caso do vinho esses aromas vão mudando com o passar do tempo, devido a novos processos químicos que continuam acontecendo na garrafa, na medida em que o vinho vai tendo contato com o oxigênio. É por isso que um vinho mais velho não terá mais os aromas de frutas frescas dos vinhos jovens, e sim de couro, tostado, defumado, etc.

Aqui uma tabela com os respectivos aromas entre vinhos e os compostos químicos:
tabela

Você percebe o quanto o cheiro é importante e o quanto é legal prestarmos mais atenção a ele?

Exercite esse sentido: vá à uma feira e cheire as frutas, os legumes, as ervas, as flores, os temperos … seja um pouco mais politicamente incorreto e cheire sim sua comida! Enfim, cheire tudo!

teste2

Isso é tão natural, mas a sociedade complica tanto, que nos afastamos dos prazeres mais básicos
.casal-beijando-em-extase
Entre um casal, o cheiro é o começo de tudo.  É uma questão química: o odor natural de cada um desperta o desejo no outro e faz com que a atração se estabeleça.
Então, cheire mais, exercite isso, sem medo de ser feliz!!!

(fontes:
Revista Super Interessante http://super.abril.com.br/cotidiano/olfato-sentido-vida-438456.shtml ,
Uol Saúde http://www.hsw.uol.com.br/questao139.htm) e interpretação livre de Regiane Avila

(foto da imagem destacada de Nadia Jung)

O vinho e as “ditaduras sociais”

2012-09-15 15.34.05
Inspirada em uma matéria que acabei de ler sobre “ditaduras sociais”, gostaria de começar esse papo dizendo: Você não “precisa” gostar de vinhos.
O grande barato de minha page e meu blog é tentar levar o vinho para o seu dia a dia, mas, se essa não é sua praia, tudo bem, não se cobre por isso!
Agora, se você gosta de vinhos, mas não conhece muito, por favor, não se assuste ao se deparar com tantas pessoas postando fotos de vinhos caros, lugares luxuosos, degustações para grupos fechados à 7 chaves e um montão de outros bla bla bla …
Muitas coisas fazem parte mesmo do dia a dia de quem trabalha com isso, mas muita coisa é para manter um glamour que está pra lá de ultrapassado. O mundo do vinho aqui no Brasil foi assim até bem pouco tempo atrás, mas esse modelo está caindo por terra. Ainda bem!
Lembre-se sempre de que vinho é alimento.
Vinho é feito de uva, que vem da terra, portanto, um produtor, antes de tudo é um homem “do campo”, que lida com a natureza e suas intempéries.
Quando for escolher um vinho para beber, seja em um Wine-Bar, Boteco, Restaurante, Supermercado, Loja Especializada ou Empório, não se intimide, peça ajuda ao sommelier ou ao atendente e, te garanto que o primeiro passo para saber se ele é mesmo competente, é se ele quiser saber sobre o seu gosto e o seu bolso.
Se ele te indicar apenas o mais caro, fuja dali sem a menor cerimônia, por favor!
Você não precisa disso pois há vários vinhos bons, wine-bares despretensiosos a ótimos preços, sem nariz empinado e sem frescuras, para ir e curtir.
Da próxima vez, leve vinho ao seu piquenique, churrasco, praia, piscina, happy-hour …
Deguste-o sozinho ou acompanhado, lendo um livro, assistindo à um filme ou ouvindo uma canção.
Lembre-se que vinho harmoniza com alimentos, charutos e com por-do-sol, por que não?!
E, acima de tudo, não se esqueça: escolha sempre aquilo que te dá prazer, deguste a vida e seja feliz!
Você merece!
Nós merecemos!

(foto da mesa da minha pequena sacada, a qual chamo carinhosamente de “meu quintal”)

Você e Jerez: já foram apresentados?

Você conhece Jerez?

Jerez, também conhecido como Xeres ou Sherry, é um vinho fortificado _ que tem adição de aguardente vínica _ produzido no sul da Espanha, na região demarcada que compreende as cidades de Jerez de La Frontera, El Puerto de Santa Maria e Sanlúcar de Barrameda.

Por ser vinificado de uma forma bastante peculiar _ veja detalhes no final da página _ essa bebida guarda algumas características muito peculiares.

Apesar de ser produzido há séculos, ainda é um desconhecido para muita gente, o que é uma grande injustiça, já que, por sua versatilidade, acompanha muito bem pratos tradicionalmente de difícil harmonização, como os asiáticos, por exemplo.

São ao todo 8 tipos, indo do mais seco para o mais doce, do mais clarinho ao mais escuro respectivamente.

tipos

Jerez Fino: 

cor de ouro palha e aroma pronunciado, mas delicado, lembrando amêndoas, ligeiro, seco e pouco ácido.
Temperatura de serviço: entre 7 a 9 ºC
Harmonização: é o mais gastronômico de todos, pois harmoniza muito bem com pratos com muitas especiarias, como da culinária asiática, perfeito com sushis, sashimis, Jamon, Aspargos e Ceviche.
Ótimo também como aperitivo.
É realmente um curinga!

Manzanilla:
tal como o Fino, mas feito em Sanlúcar de Barrameda, com influência do mar, portanto tem um leve toque salgado.
Características e harmonização idênticas ao Jerez Fino.

Jerez Amontillado:
cor âmbar, aroma mais acentuado, de avelãs, seco e pleno ao paladar.
Harmonização: embutidos fortes, jamón serrano e queijo manchego, sopas de pescados e patês de aves.
Ou charuto. Perfeito!

Jerez Oloroso:
Cor escura, muito aromático. Corpo pronunciado, denso, aromas a nozes, variando do tipo seco até o doce.
Harmonização: tapas espanhóis (lula a dorê, camarão frito, isca de peixe frito), jamón ibérico e frutas secas.

Palo Cortado:
Com aroma de Amontillado e paladar de Oloroso é o mais difícil de ser encontrado.
Harmonização: servir ao final da refeição, acompanhando um prato de queijos, de preferência os mais duros, com bom tempo de cura e sabor forta, junto de um prato com frutas secas, ou com bons embutidos e carnes curadas, como um Jamón Pata Negra.

Pedro Ximenez:
Feito com a uva de mesmo nome, é um vinho espesso, aromático e extremamente doce.
Harmonização: sobremesas a base de frutas secas, queijos salgados, frutas secas.

Moscatel:
Doce, feito com a uva de mesmo nome. É raro, apresentando cor escura e aromas primários da uva do mesmo nome.
Harmonização: Para acompanhar todos os tipos de sobremesas, queijos azuis e patês de foie gras.

Cream:
Feito da combinação de um vinho oloroso com parte de Pedro Ximenez. Normalmente suave, aromático e ligeiramente doce.
Harmonização: sobremesas a base de frutas secas.

Ficou com vontade? Veja onde encontrar:

Empório Mercantil, Casa Flora, Expand, Grand Cru, World Wine, Mistral e na maioria das grandes lojas e empórios.
Há Wine Bares que servem Jerez em taça, como o Rubi Wine BarDecanter Wine Bar, Le Jazz e o La Madrileña, que tem no cardápio uma Mousse de chocolate amargo ao Pedro Ximénez, uma delicia!


Uma música e o Jerez

Para te dar uma instigada a conhecer esse vinho singular, aqui vai uma canção insinuante e sensual, que faz referência ao Jerez:   “Tomar Jerez da tua boca” …
Que tipo de Jerez você acha que combina com esse contexto?
Eu apostaria em um Manzanilla!

DERRETENDO SATÉLITES (Paula Toller e Herbert Vianna) 

(Clique aqui para ver o vídeo)

Abro com as mãos, te deixo olhar
Te levo pra dentro devagar
Sempre venho aqui nesse lugar
Tomar JEREZ da tua boca
Provar o sal do mar, mostrar um verso
Provar um amor eterno
Onde a sua mão está agora?
A minha você sabe bem
Quanto mais tempo demora
Mais violento vem

Falando absurdos
Virando a noite
Perdendo senso
Derretendo satélites
Falando tudo
Voando a noite
Ouvindo estrelas
Derretendo satélites

Uma vez, dez, quinze, vinte, tanto faz
Não tenho mais nada pra fazer
Estou aqui pensando em você
Deixando a água correr
Provei o mar, mostrei um outro verso
Provei um amor eterno
Onde a sua mão está agora?
A minha você sabe bem
Quanto mais tempo demora
Mais violento vem, meu bem
Falando absurdos…
Falando tudo
Virando a noite
Perdendo o senso
Derretendo satélites


A VINIFICAÇÃO DO JEREZ

Jerez, também chamado Xeres ou Sherry, é um vinho fortificado _ que tem adição de aguardente vínica _ produzido em Jerez de La Frontera, no sul da Espanha.As principais uvas utilizadas em sua produção são a Pedro Ximenez, a Moscatel, a Palomino de Jerez e Palomino Fino, colhidas manualmente perto do dia 10 de setembro.

Na vinificação, o mosto é fermentado em tanques de aço inox, ou de cimento e sofre a adição de aguardente vínica para depois envelhecer em barricas.
As barricas são preenchidas com 3/4, deixando um espaço vazio para que sobre o vinho seja criada uma fina camada formada das leveduras Saccharomyces que florescem na primavera e diminuem no inverno, chamada de FLOR e que impede a oxigenação do vinho, contribuindo para o aroma e paladar.
Todos os anos uma parte do vinho é engarrafada e a mesma quantidade é reposta com o vinho da safra atual em um sistema chamado de solera:  fileiras de barricas sobrepostas, com vinhos de diferentes idades, em que as mais próximas do chão têm os vinhos mais antigos.
Isso faz com que haja pouca alteração de ano para ano, resultando em um produto mais homogêneo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vinho para ser feliz e degustar a vida

Inspirada em uma matéria que acabei de ler sobre “ditaduras sociais”, gostaria de começar esse papo dizendo: Você não “precisa” gostar de vinhos.
O grande barato de minha page e meu blog é tentar levar o vinho para o seu dia a dia, mas, se essa não é sua praia, tudo bem, não se cobre por isso!
Agora, se você gosta de vinhos, mas não conhece muito, por favor, não se assuste ao se deparar com tantas pessoas postando fotos de vinhos caros, lugares luxuosos, degustações para grupos fechados à 7 chaves e um montão de outros bla bla bla …
Muitas coisas fazem parte mesmo do dia a dia de quem trabalha com isso, mas muita coisa é para manter um glamour que está pra lá de ultrapassado. O mundo do vinho aqui no Brasil foi assim até bem pouco tempo atrás, mas esse modelo está caindo por terra. Ainda bem!
Lembre-se sempre de que vinho é alimento.
Vinho é feito de uva, que vem da terra, portanto, um produtor, antes de tudo é um homem “do campo”, que lida com a natureza e suas intempéries.
Quando for escolher um vinho para beber, seja em um Wine-Bar, Boteco, Restaurante, Supermercado, Loja Especializada ou Empório, não se intimide, peça ajuda ao sommelier ou ao atendente e, te garanto que o primeiro passo para saber se ele é mesmo competente, é se ele quiser saber sobre o seu gosto e o seu bolso.
Se ele te indicar apenas o mais caro, fuja dali sem a menor cerimônia, por favor!
Você não precisa disso pois há vários vinhos bons, wine-bares despretensiosos a ótimos preços, sem nariz empinado e sem frescuras, para ir e curtir.
Da próxima vez, leve vinho ao seu piquenique, churrasco, praia, piscina, happy-hour …
Deguste-o sozinho ou acompanhado, lendo um livro, assistindo à um filme ou ouvindo uma canção.
Lembre-se que vinho harmoniza com alimentos, charutos e com por-do-sol, por que não?!
E, acima de tudo, não se esqueça: escolha sempre aquilo que te dá prazer, deguste a vida e seja feliz!
Você merece!
Nós merecemos!

(foto principal: mesa da minha pequena sacada, a qual chamo carinhosamente de “meu quintal”)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gente que faz comida com arte e amor, conhecendo o Emporio Curato

Eu admiro demais as pessoas que amam o que faz, e faz bem feito.

Esse é o caso de Edson Navarro. Apaixonado por gastronomia,  ele decidiu deixar sua carreira sólida como executivo, para se dedicar ao seu grande prazer: produzir embutidos de forma artesanal.
Depois de muitos anos pesquisando e desenvolvendo receitas, Edson fez do seu grande amor o seu trabalho, e há apenas dois meses abriu seu empório em uma deliciosa rua no Bairro do Ipiranga.
Juntamente com a esposa Adriana e o irmão, Edson oferece produtos diferenciados, de sabores delicados e de altíssima qualidade, tais como  joelho de porco, linguiça calabresa curada, defumada, fresca com pouquíssimo teor de gordura, morcilla. Esta, sinceramente, a melhor que já comi. Além de pastas como alichela e sardela, tudo produzido ali, com receitas de família!
Edson está agora finalizando sua receita de Jamón e nos brindou com uma porção deliciosa!
Outra coisa que me encantou foi a alheira. À respeito dela, Edson nos contou uma história emocionante:
Cerca de 2 semanas atrás, chegou um casal e um senhor idoso para conhecer o Empório. O senhor, de 90 anos aproximadamente, é português, mas vive há anos no Brasil. Pediu para o filho e a nora o levarem até lá, pois havia ouvido falar da alheira fabricada ali. Comeu e chorou, porque voltou à sua infância através dos aromas e sabores degustados!

Bem, além de tudo isso, o Empório ainda tem alguns produtos garimpados em Minas Gerais como farofa de mandioca com pequi, doce de limão rosa e geleia de pimenta.

Há alguns rótulos de vinhos de muita qualidade, fornecidos pelo Clube da Mesa, a preços super convidativos.

Passe lá para conhecer e tenho certeza que você virará cliente.
Vá sem pressa e peça uns petiscos para serem degustados ali mesmo, com uma deliciosa taça de vinho.

Empório Curato

Rua Brigadeiro Jordão 362 – Ipiranga SP
Fone: 2337 5900

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na Expovínis 2013, degustando alguns vinhos portugueses que estão chegando aqui pela Domno

Quem me conhece sabe o quanto protesto contra o Brasil.
Opa … Não por não ser patriota, muito pelo contrário!
Mas, por querer um País mais justo, sou crítica demais, não concordo com a maioria das coisas por aqui e tento sempre, do meu jeito, fazer minha parte em relação à essas questões.

Protesto contra a falta de educação, os impostos, a corrupção, etc, etc … mas, falando de vinhos, os quais pagamos impostos absurdos, tem um lado bom que vale ressaltar: a diversidade.
Aqui se tem de tudo e isso é uma benção. Quem já viajou pela América do Sul, sabe que na maioria dos países você só encontra os vinhos produzidos ali naquele país. Viaje para a Argentina e só verá vinhos argentinos, Chile, vinhos chinelos, Uruguai, uruguaios …
Imagine se morássemos em um desses países … Como teríamos um paradigma dessa forma?

Se não tivéssemos tantos impostos altos, seríamos como os USA!
Temos a diversidade mas, infelizmente,  ainda não temos os preços acessíveis!

Por que estou falando isso?

Para contar sobre mais um produtor que está chegando aqui, desta vez português: a ENOPORT, uma  grupo português que representa rótulos de várias regiões portuguesas,  a qual a Domno, sim, a Domno do Brasil, do simpático e empreendedor Jones Valduga, está trazendo para cá! Sim ela agora também é importadora! Muito bom!

No primeiro dia da Expovinis 2013, eu e minha amiga e também blogueira, Evelyn Fligeri, do blog Taças e Rolhas, fizemos uma entrevista com Paulo Correia, diretor comercial da Enoport.

Nada mal para quem quer conhecer um pouquinho mais desse país encantador e que produz vinhos cada vez melhores.
Com certeza esses vinhos são muito mais baratos em Portugal e na Europa, mas não achei tão caros por aqui.
Abaixo os impostos e viva a diversidade. Sempre !!!

Vamos aos vinhos (para saber os detalhes é só clicar na foto!)

Preparando o almoço com o que se tem na geladeira. Com vinho, sempre!

Mesmo sendo domingo, acordei cedo porque gosto, e pensei no que preparar para o almoço.
Abri o freezer e decidi descongelar uns filés de frango, sem saber ao certo o que faria.
Bem, eu sou assim, só consigo fazer bem feito quando tenho inspiração. Sou do tipo Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa, quando disse: “Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la”. Essa sou eu!
Enfim, na hora do almoço, vasculhei a despensa, geladeira, e decidi que faria um arroz com frango. Na verdade, como só tinha arroz arbório, aquele apropriado para risotos, meu arroz se tornaria humildemente um risoto.
Primeiramente, pus para ferver água com alecrim, tomilho, manjericão, louro e alho.
Enquanto isso, cortei o frango em cubinhos e o refoguei com cebola roxa, alho, sal grosso temperado e azeite.
Quando estava fritinho, reguei com o único vinho aberto que tinha na geladeira: um tinto do Rhone!!!
Essa foi a grande dúvida. Será que o vinho tinto não mataria meu frango?!
Bem, fui em frente e, quando o frango estava pronto, retirei-o da panela e deixei apenas o caldinho e alguns cubinhos.
Joguei o arroz, refoguei e, na primeira refoga, reguei com o resto do vinho tinto.
Nas próximas vezes, reguei com o caldo e coloquei uma colher bem generosa de manteiga.
Bem, esse foi nosso almoço.
Pensando na harmonização, embora fosse um frango, tinha a influência do vinho tinto e das ervas, escolhi um rosé mais estruturado, elaborado em Bordeaux.
Com uma saladinha verde e tomates sweet, posso dizer que ficou perfeito, modéstia à parte.
Não gastei um centavo, pois usei tudo que tinha em casa, inclusive as ervas do meu quintal.
Comer bem é uma das melhores coisas do mundo e não necessariamente precisa ser caro.

Espero que tenham entendido a receita. Se tiverem dúvidas, é só perguntar. Estou por aqui, degustando a vida e tentando mostrar, com humildade, que fazendo da forma mais simples pode ser também a forma mais saborosa!
Vou incluir essa receita em meus menus. Ficou sensacional!

Saúde!

Aqui, o poema de Fernando Pessoa, através de seu heterônimo, Alberto Caeiro.

Guardador de Rebanhos

Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto,
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,
Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.

O melhor lugar do mundo

Confesso que minha vida é mais corrida do que eu gostaria.
Sou do tipo que faço mil coisas ao mesmo tempo, como colocar o sapato enquanto vou escovando os dentes.
Mas, não gosto disso.
Gostaria de ter mais tempo, pois sou uma pessoa contemplativa.
O nada me traz o tudo que me falta, entende?
Gosto de observar, de me observar, de sentir e de me sentir.
Adoro ter tempo para fazer nada, como o que aconteceu hoje de manhã. Enquanto tomava meu café na sacada, peguei o violão para tocar uma música e um passarinho chegou para acompanhar. Sério, ele ficou muito tempo cantando comigo.
Sou assim. Gosto de perceber essas coisas simples.
Acabei de chegar em casa depois de um dia corrido, mas delicioso. Tomei um banho com sabonete de lavanda e relaxei. Estou no meu ninho. No meu habitat.
E com essa sensação boa, abri um dos meus vinhos prediletos, esse alsaciano, leve, aromático, explodindo em flores e frutas frescas e me lembrei dessa velha canção do Gil:
O melhor lugar do mundo é aqui e agora.

Camera 360